Assine aqui para receber
nosso Informe institucional

Notícias

COVID-19

22/04/2020 - Boletim Epidemiológico 12

RECOMENDAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS)

Segundo os documentos publicados pela OMS, Coronavírus disease (COVID-19) technical guidance: Laboratory testing for 2019-nCoV in humans , publicados em 19 e 22 de março de 2020, o vírus 1 denominado SARS-CoV-2 pode causar a doença chamada Doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19). No entanto, vamos referir ao vírus como vírus COVID-19 para facilitar a compreensão, conforme utilizado pela OMS.

A decisão de testar deve basear-se em critérios clínicos e fatores epidemiológicos e vinculados a uma avaliação do probabilidade de infecção. Teste molecular (rRT-PCR) de casos assintomáticos ou contatos com sintomas leves podem ser considerado na avaliação de indivíduos que tiveram contato com um caso de COVID-19. Os protocolos de triagem devem ser adaptados para a situação local.

A coleta e testagem rápida de amostras apropriadas de pacientes que atendem à definição de caso suspeito de COVID-19 é uma prioridade para o manejo clínico e controle de surtos e deve ser realizada por um profissional especializado.

A OMS orienta que em determinadas situações, os pacientes devem ser testados para outros patógenos respiratórios usando procedimentos laboratoriais de rotina, conforme recomendado no Guia para a Rede Laboratorial de Vigilância de Influenza no Brasil . Testes adicionais não devem atrasar o teste para 2 o COVID-19. Além disso, como coinfecções podem ocorrer, todos os pacientes que atendem à definição de caso suspeito de Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) devem ser testados para o vírus COVID-19, independentemente de se encontrar outro patógeno respiratório.

Em um estudo inicial em Wuhan, o período médio de incubação do COVID-19 foi de 5,2 dias em 425 casos, embora varie amplamente entre indivíduos. A história natural da doença e o tempo de carga viral infectante ainda não está bem descrita, sendo necessárias mais investigações. Embora as amostras respiratórias sejam as mais adequadas, o vírus pode ser detectado em outras amostras, incluindo fezes e sangue. Deve-se atentar para que a pessoa seja informada sobre a coleta e sobre o destino de suas amostras, com o Consentimento Livre e Esclarecido para teste e pesquisas potencialmente futuras, seguindo as regras da CONEP - Comissão Nacional de Ética em Pesquisa.

A Organização Mundial da Saúde não validou nenhum teste sorológico, até o momento. Em nota, no dia 08 de abril de 2020, o órgão recomendou o uso de testes rápidos sorológicos somente para fins de pesquisa, a sua utilização para diagnóstico não está indicada nos laboratórios públicos e privados.

CONFIRA A ÍNTEGRA DO BOLETIM AQUI. 

Eventos Científicos



Valor das Consultas

Saiba qual o valor real de sua consulta com a calculadora criada pela APM